Medalhistas nas Olimpíadas de Tóquio. (Fotos: Reproduções)

Os relatos mostram que vários participantes expressaram sua fé, seja quebrando recordes mundiais ou simplesmente pela chance de competir.

Os jogos olímpicos realizados no Japão, com um ano de atraso devido à pandemia de coronavírus, deixaram uma marca importante, exibida e transmitida pelas emissoras que cobriram o megaevento esportivo: a fé dos atletas participantes.

A semelhança entre muitos atletas que participaram das Olimpíadas de Tóquio vai além da dedicação ao esporte e das competições: nesta edição dos jogos dezenas de cristãos exibiram suas crenças de variadas formas. Uns oravam antes de sua apresentação, outros falavam sobre Jesus durante entrevistas e em suas mídias sociais, alguns faziam alusões à sua fé em alguns momentos da competição.

Gramados, quadras, piscinas, pistas e praia foram palcos da demonstração de fé de atletas, brasileiros e estrangeiros; muitos deles medalhistas. É o caso da ginasta Rebeca Andrade, que conquistou uma medalha de prata e uma de ouro.

A campeã olímpica brasileira, que é de família evangélica, faz constantes declarações de suas crenças. Sua mãe, Dona Rosa, revelou em conversa com Galvão Bueno, que a preparação da filha não foi feita apenas com treinos, mas foi também “na base da oração”.

“Somos evangélicos, então nos preparamos espiritualmente, com muita oração e pensamento positivo, porque o restante teria de ser com ela. É muito treino e muita concentração”, disse a mãe da ginasta paulista.

Em uma entrevista ao SporTV, após ser solicitada a cantar uma música diante de suas conquistas em Tóquio, Rebeca Andrade cantou “A Fé Faz o Herói”, da cantora cristã Jamily. 

Outro que deixou claro sua fé foi o medalhista de ouro Ítalo Ferreira. O surfista do Rio Grande do Norte, que venceu a primeira edição da modalidade em olimpíadas, declarou: “Todo dia orei às 3h da manhã, pedi a Deus que realizasse meu sonho”.

Ítalo também disse, em “eu vim com uma frase para o Japão: diz amém que o ouro vem. E veio. Eu acreditei até o final, treinei muito nos últimos meses e Deus realizou meu sonho”, disse o campeão em entrevista ao SporTV.

A nadadora sul-africana Tatjana Schoenmaker demonstrou sua fé dentro da piscina, ao orar após conquistar a medalha de ouro nos 200m peito em Tóquio e estabelecer um novo recorde mundial, tornando-se a primeira mulher a nadar menos de dois minutos e dezenove segundos.

Em uma postagem no Twitter pouco antes do início das competições olímpicas, Schoenmaker escreveu:

"Que os jogos comecem. Deus Pai, que a tua vontade seja feita, que a tua paz nos preencha, que possamos louvá-lo, não importa qual seja o resultado, que possamos ser capacitados por sua força para dar tudo de nós e que possamos estar para sempre maravilhados com a sua bondade! Obrigado por nos trazer até este momento.”

Destacamos alguns outros atletas cristãos em Tóquio:

- Peruth Chemutai se tornou a primeira mulher de Uganda a ganhar uma medalha de ouro olímpica em qualquer esporte ao triunfar nos 3.000 metros com obstáculos femininos. A jogadora cristã de 22 anos marcou um tempo de 9h01,45 para terminar mais de três segundos à frente da medalhista de prata americana Courtney Frerichs, com Hyvin Kiyeng do Quênia levando o bronze.

Peruth Chemutai — Foto: Reuters

- Tamyra Mensah-Stock é uma lutadora americana que ganhou uma medalha de ouro por seu país na categoria 68 quilos do estilo livre feminino. Quando solicitada a comentar sobre suas conquistas atléticas, ela respondeu: “É pela graça de Deus que posso até mover meus pés”.

Tamyra Mensah-Stock — Foto: Tom Pennington / Getty

- Athing Um que conquistou a medalha de ouro pela equipe dos EUA nos 800 metros rasos louvou a Deus ao se tornar a primeira mulher americana a vencer o evento desde os Jogos Olímpicos de Verão de 1968 na Cidade do México. “Deus definitivamente liderou a batalha por este!”, escreveu a atleta no Twitter logo após sua vitória. “Então, obrigada Senhor!”

Athing Mu— Foto: Aleksandra Szmigiel / Reuters

- Equipe masculina de rúgbi de Fiji depois de ganhar uma medalha de ouro se uniu em música no campo. “Vencemos, vencemos, pelo sangue do Cordeiro, na Palavra do Senhor, vencemos”, cantavam eles em sua língua nativa. O The Guardian relatou que cantar louvores não é incomum para o time masculino de rúgbi de Fiji. De acordo com o capitão da equipe Jerry Tuwai, “Sempre começamos com nossas orações e canções, e sempre terminamos com nossas orações e canções”.

Jogadores de Fiji oram depois de ganhar a medalha de ouro do rugby sete masculino – Foto: Twitter

- Raevyn Rogers usa sua plataforma de mídia social para professar sua fé, com sua biografia no Twitter onde declara: “Guiada por Sua orientação”, acompanhada por um emoji de mãos em oração. Após garantir a medalha de bronze para os EUA nos 800 metros rasos ela tuitou: “Fiz esta final por um motivo. Está tudo de acordo com o plano Dele e sei que será revelado.”

Raevyn Rogers — Foto: Reprodução / Sportskeeda

- Andre De Grasse o velocista canadense conquistou o ouro dos 200m rasos. Ele é o primeiro canadense a vencer essa corrida em quase cem anos. O atleta, que cresceu em uma família cristã, tem tatuado "presente de Deus" em seu braço e o Pai Nosso no antebraço.

Andre de Grasse — Foto: Reuters  / Hannah Mckay

- Caeleb Dressel bateu o recorde de Michael Phelps com 7 medalhas de ouro. Ele foi o primeiro nadador a ganhar três medalhas de ouro em uma noite. O atleta que chegou à glória após enfrentor uma depressão disse: “Aprendo a confiar no que Deus está fazendo [...] Deus me deu o talento”.

Caeleb Dressel – Foto: Oli Scarff / AFP

Sydney McLaughlin, dos Estados Unidos, comemora após vencer os 400 metros com barreiras femininos.

Sydney McLaughlin — Foto: AP Photo / Petr David Josek


Fonte Guiame / Rádio AD Bélem

Redação, Pastor Daaber Santos


#olimpiada 2021