“Os cristãos usam uma língua codificada para encobrir as palavras proibidas e não serem banidos ou terem os posts deletados por ‘conteúdo ilegal’’ (Foto: Portas Abertas)

Alguns cristãos procuram se comunicar de maneira criativa pelo WeChat, aplicativo de interação virtual usado por muitas pessoas na ChinaA nova legislação da internet no país exige que as pessoas tenham permissão específica para criar ou publicar conteúdo religioso.

Atividades online de igrejas foram interrompidas, em algumas províncias, e não puderam voltar ao ar. A suspeita é de que membros da igreja usaram as palavras consideradas impróprias durante os encontros e por isso foram banidos.

Segundo um artigo da Radio Free Asia, “autoridades na China lançaram um treinamento em massa para sentinelas apagarem conteúdos religiosos não aprovados pelo governo, estreitando o controle na internet. Ainda não há certeza se esses treinamentos estão acontecendo de fato, mas é possível e provável que estejam alcançando várias partes do país e limitando ainda mais as atividades religiosas online”.

De acordo com a Portas Abertas, a China é o 17º país na Lista Mundial da Perseguição 2022.

 


RADIO AD BELEM      97,9 FM

Com informações: Portas Abertas